Saiba como escolher um bom roteador com 6 dicas infalíveis

Você sabe como escolher um bom roteador? À medida que o uso de dispositivos móveis se tornou comum, esse equipamento de rede ganhou grande importância. Justamente por isso, ele foi otimizado, recebendo novas tecnologias e funcionalidades para proporcionar boas conexões sem fio a várias pessoas.

Saber escolher um bom roteador, portanto, é algo crítico. Identificar os recursos básicos para suas demandas e avaliar o software e o suporte da marca são passos básicos para começar a utilizar um equipamento robusto e alinhado às suas demandas. Para ajudar você nessa decisão, preparamos o post a seguir.

Continue a leitura e veja como investir no melhor roteador para sua internet!

1. Identifique o tipo de conexão utilizada

O primeiro passo para escolher um bom roteador é avaliar o perfil da sua conexão web. Isso incluirá itens simples, a exemplo do tipo de cabeamento compatível com o conversor, e outros pontos (como a velocidade da internet contratada).

Velocidades muito altas naturalmente exigem roteadores capazes de entregar sinais mais fortes e de alta performance. Além disso, suas portas devem receber dados em maior quantidade. Portanto, fique atento a isso para não ter gargalos na sua rede Wi-Fi.

2. Faça um estudo do ambiente em que o roteador ficará

O sinal de Wi-Fi pode ser afetado pelo ambiente em que está inserido de diferentes maneiras. Uma estrutura de concreto armado ou madeira, por exemplo, prejudica a propagação do sinal. Isso gera zonas fantasmas (em que não há nenhum sinal) ou mesmo a perda do pacote de dados.

Portanto, é importante identificar a infraestrutura do local em que o aparelho ficará instalado. Além de melhorar seu posicionamento para gerar o máximo de potência, tal avaliação permite identificar a opção ideal às suas necessidades. Desse modo, você poderá investir em um dispositivo moderno e capaz de vencer os eventuais desafios do ambiente com facilidade.

3. Avalie suas demandas

Outro ponto importante para quem quer saber como fazer uma boa escolha é a identificação das demandas existentes. O roteador será utilizado por quantos aparelhos? Quais são as tecnologias compatíveis? Que tipo de ferramenta e serviço web é utilizado pelo usuário?

Saber tais pontos melhora o direcionamento da escolha e evita o investimento em um aparelho de pouca qualidade. Cenários como quedas de performance quando há muitos dispositivos conectados ou falta de capacidade para utilizar alguns serviços específicos podem ser evitados a partir desse estudo. Então, sempre verifique se o roteador será capaz de atender por completo à sua rotina de uso da internet.

4. Identifique recursos de segurança

A segurança digital é algo crítico para qualquer pessoa que utiliza a tecnologia, pois o roubo de dados é um problema que pode afetar qualquer pessoa hoje. Por isso, proteger-se é uma preocupação que deve ser constante.

Ao buscar um roteador que seja alinhado com suas demandas, nunca deixe de verificar os recursos de segurança disponíveis. Eles devem ser capazes de entregar uma conexão robusta, com baixo nível de problemas de performance e boa confiabilidade. Além disso, podem ter pontos como:

  • possibilidade de bloquear dispositivos inseguros ou desconhecidos;
  • uso dos principais protocolos de segurança de rede do mercado;
  • mecanismos de monitoramento do uso da rede;
  • suporte a VPNs nativos;
  • filtros por MAC Address;
  • controle parental.

Tais recursos melhoram a confiabilidade da rede e evitam que invasões ocorram. Você poderá avaliar se há alguém desconhecido conectado, limitar o número de aparelhos que pode utilizar sua conexão e até mesmo reduzir a velocidade. Além disso, será mais fácil restringir o acesso a páginas inseguras ou serviços que consomem muita banda.

5. Conheça as opções de personalização

Para atenderem a diferentes demandas, os roteadores modernos ganharam recursos que os tornam mais dinâmicos, robustos e capazes de lidar com diversas necessidades. Por isso, conhecer suas funcionalidades é algo que quem sabe como escolher um bom roteador recomenda.

Além dos recursos de segurança digital, as opções de personalização devem ser estudadas profundamente. Há roteadores que permitem o uso de softwares de código aberto desenvolvidos por comunidades parceiras, por exemplo. Eles acrescentam recursos e liberam correções de bugs com mais agilidade do que muitos fabricantes.

Além disso, os softwares personalizados podem melhorar o acesso à internet sem fio no caso de jogos online ou uso das plataformas de streaming, como a Netflix. Mecanismos como os de priorização de banda para determinado aparelho ou página web tornam o acesso mais eficaz e voltado a serviços prioritários.

Há também a personalização da configuração da internet, que vai muito além dos dados básicos da rede Wi-Fi e do protocolo utilizado. Fatores como o DNS ou o aparelho de rede que será responsável pela distribuição de IPs na rede interna também devem estar disponíveis para a configuração do usuário. Desse modo, você conseguirá adaptar a rede às suas demandas e sempre ter um sinal de qualidade.

6. Verifique como é o suporte da marca aos usuários

O roteador não costuma ser trocado todos os anos — aliás, é comum que as pessoas utilizem esse dispositivo por longos períodos. Afinal, se ele continua entregando um bom sinal de Wi-Fi para acessar a web, muitos usuários não encontram necessidade em trocar o aparelho.

Justamente por isso, conhecer o suporte do fabricante deve ser uma preocupação comum a quem está escolhendo um novo roteador. É preciso identificar o histórico do fabricante na distribuição de correções de bugs e brechas de segurança.

Também é fundamental avaliar se o fabricante costuma distribuir atualizações com novas tecnologias. Isso permite o acesso a novas funcionalidades e garante que o roteador continue compatível com aparelhos modernos mesmo anos após ser comprado.

O uso da internet é algo crítico para o nosso dia a dia. Pela web podemos pagar contas, compartilhar notícias, utilizar serviços de streaming e jogar online. Mas isso só é possível quando há uma boa conexão.

Para garantir que o WiFi tenha a qualidade necessária para todas as suas demandas, saber como escolher um bom roteador é algo básico. Deve-se identificar o perfil de uso da internet, o número de aparelhos que se conectarão ao dispositivo e as funcionalidades de segurança. Desse modo, você fará um investimento robusto e alinhado à sua rotina.

Esse artigo foi útil?
Usuários que acharam isso útil: 3 de 3

Comentários

0 comentário

Por favor, entre para comentar.